Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Ecos da Morte, de Kimberly Derting.

Sinopse: Violet Ambrose tem dois problemas – o dom mórbido e secreto que carrega desde a infância e Jay Heaton, seu melhor amigo, por quem está apaixonada. Aos dezesseis anos e confusa com os novos sentimentos em relação a Jay, ela começa a ficar cada vez mais incomodada com sua estranha habilidade – Violet encontra cadáveres. Desde pequena ela percebe os ecos que os mortos deixam neste mundo. Ruídos, cores, cheiros. Mas não todos, apenas os das vítimas de assassinato. Para ela, isso nunca foi um grande talento. Na maioria das vezes, tudo o que encontrava eram pássaros mortos, deixados para trás pelo gato da família. Mas, agora que um serial killer está aterrorizando a pequena cidade onde mora e os ecos das garotas assassinadas a perseguem dia e noite, Violet se dá conta de que talvez seja a única pessoa capaz de detê-lo. Em pouco tempo ela estará no rastro do assassino. E ele, no dela.


Ecos da Morte me deixou com uma opinião contraditória. Gostei mas não gostei.Explico: achei muito legal a iniciativa da autora para inserir esse tema na literatura jovem. Não são todos os dias que você encontra um livro que fale sobre assassinatos em série para adolescentes. Os capítulos narrados do ponto de vista do serial-killer foram muito bem construídos, exatamente como deveriam ser. Porém, é um livro adolescente demais! É muito mais focado nos dramas pessoais da protagonista do que nos crimes.

Fiquei com a sensação que esse era apenas um plano de fundo, um desculpa, para Violet declarar seu amor por Jay, e vice-versa. Além disso, o livro é cheio de clichês, como por exemplo, ela se apaixona pelo melhor amigo está “diferente” agora, e todas as garotas estão atrás dele. Não sou muito fã desse tipo de historia. Poderia ter sido um livro muito melhor sem todos esses dramas adolescentes que são encontrados em qualquer livro da Meg Cabot. Por isso senti falta do mistério, da tensão, da perseguição, dos tiros, das mortes. Estranho? Talvez. Mas o problema é que eu já estou acostumado com os livros policiais.
Para dizer bem a verdade, se você já leu algum livro que tenha esse tema, como a trilogia Millennium, ou os livros de Dan Brown (Código Da Vinci, Anjos e Demônios e O Símbolo Perdido) – como eu li - vai achar Ecos Da Morte fraco, bem fraco aliás. Mas se você nunca leu nada disso, vai gostar e vai se interessar por esses outros que são mais adultos.
Gostei do livro exatamente pelo fato de ele cumprir o que prometeu: introduzir os jovens à literatura policial.

Um comentário:

  1. Parabéns pela resenha Vitor! Estou ansiosa para ler Ecos da Morte! Abraços!

    ResponderExcluir